Eduarda China
04/01/2021 | 08:30:19

Em setembro de 2017, meu irmão se arrumava para ir a uma corrida de rua. Era um sábado e eu estava triste em casa por algum motivo que nem me lembro. Decidi ir com ele, não havia me inscrito, mas queria ver qual era a onda das corridas de rua e o porquê de tanto gente sair correndo em bando feito doido em um sábado a tarde. A corrida era a Meia do Sol, chegando lá me deparei com tanta gente e com uma energia tão boa que antes de dar os primeiros passos, já havia decidido que eu tinha gostado daquilo. Corri 5km, obviamente intercalando com passos de caminhada, mas a força das pessoas que corriam perto de mim - mesmo sem eu conhecer suas histórias - me inspiraram a concluir a prova. Completei meus primeiros 5km sorrindo e feliz. No outro dia me inscrevi na próxima corrida. De lá para cá foram muitas provas, corridas no asfalto, na areia e até em trilhas, trotes, medalhas contendo histórias e a sensação de superação ao terminar cada corrida é a mesma desde a primeira vez, endorfina, felicidade, saúde e saber que eu posso.
Há 02 anos, entrei para uma equipe de assessoria de corridas e ganhei vários amigos com a mesma paixão que eu. É muito bom compartilhar longões aos sábados de manhã cedo na Rota do Sol, preparação para provas e resenhas pós provas e treinos, e muitos km de felicidade. Hoje eu corro 10km, mas a meta é chegar aos 21km - a tão sonhada medalha de meia maratonista, quem sabe 2021 traga ela?! Posso afirmar com toda certeza que é uma sensação maravilhosa acordar as 5h30, fazer um corridinha de 5km e começar bem meu dia. Recomendo a todos! Hoje, 3 anos depois, eu sou uma das doidas que sai correndo em bando pelas ruas - me superando e sendo feliz!