Posição da cabeça ao usar o celular pode afetar a coluna cervical
30/07/2019 | 09:43:34

Cada vez mais os jovens têm procurado o médico com queixas de dores na coluna cervical.
Basta olhar para o lado e logo se vê alguém com a cabeça baixa, olhos fixos no celular e dedos deslizando sobre a tela, alternando entre sites e aplicativos diversos. A cena, comum na atualidade, tem alarmado muitos médicos devido às consequências graves da má postura. O problema já tem nome: “síndrome do pescoço de texto”, também conhecida como “text neck”. A flexão do pescoço, de acordo com o especialista, aumenta o peso exercido pela cabeça sobre a musculatura cervical. Em um ângulo de 15 graus, o peso é de 12 quilos. Quando a curvatura faz um ângulo de 30 graus, o peso sobe para 18 quilos. Com 45 graus o peso da cabeça passa para 22 quilos, chegando a pesar 36 quilos num ângulo de 60 graus.  É preciso ficar bastante atento à postura.
 Em média, os brasileiros desbloqueiam o celular 78 vezes ao dia, conforme levantamento da Global Mobile Consumer Survey.
Não se trata de negligenciar a importância da tecnologia, pois ela faz parte do processo civilizatório do homem e facilita muito a relação entre as pessoas. O fato é que os riscos existem, são evidentes e podem ser prevenidos.
Uma das consequências mais graves provocadas pela má postura é a famosa dor na coluna, um tipo de enfermidade que atinge oito em cada dez pessoas no mundo, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, é a doença que mais afasta os trabalhadores por mais de 15 dias do emprego, o que equivale a 4,71% de todos os afastamentos, segundo o ranking de auxílios-doença concedidos pelo INSS.
A prevenção é a melhor opção. Diminuir o uso de smartphones ou então posicioná-los mais próximo da altura dos olhos são boas estratégias para evitar o problema.
Tente não manter a mesma postura por muito tempo.
#celulares
#smartphone
#saude #prevencao