Suplementos e Alimentação
14/06/2021 | 08:22:43

A busca por melhor qualidade de vida e o aumento da prática de atividades físicas, seja nas academias ou ao ar livre, geralmente vem associados a uma maior preocupação com a alimentação e atualmente também com o consumo de suplementos alimentares. De acordo com uma pesquisa conduzida no ano de 2020 pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD), 59% dos lares brasileiros possuem pelo menos uma pessoa consumindo suplementos alimentares, sendo que, 90% dos entrevistados usam o suplemento alimentar como um complemento à alimentação e 85% buscam saúde e bem-estar.
Mas será que sabemos a forma correta de consumir esses suplementos alimentares? Será possível, inclusive, substituir alimentos ou até refeições completas por cápsulas, shakes?
Todos os nutrientes de que precisamos podem ser encontrados na alimentação realizada de forma balanceada e com variedade de alimentos. Suplementos em geral não devem ser utilizados em substituição total à comida de verdade. Se analisamos a palavra suplemento no dicionário, encontramos a seguinte definição: “o que se acrescenta a um todo para ampliá-lo ou aperfeiçoá-lo”. Logo, a suplementação pode sim ser eficaz e nos ajudar em casos em que nossas necessidades de nutrientes se encontram aumentadas e não conseguem ser supridas apenas com alimentação, como por exemplo em períodos de treinamentos mais intensos e de maior duração ou até mesmo em algumas patologias (doenças). Porém, sempre de forma coadjuvante.
Além disso, o consumo indiscriminado e sem orientação profissional de suplementos alimentares podem causar mais danos do que benefícios. Apesar do consumo de proteínas, vitaminas, minerais, dentre outros, ser necessário para a manutenção de um bom estado de saúde, o seu uso em excesso sem acompanhamento de um médico ou nutricionista podem trazer inúmeras consequências indesejadas. Por exemplo, o excesso de vitamina C pode provocar diarreias, cólicas, dor abdominal e dor de cabeça. Estudos também têm demonstrado que a ingestão excessiva dessa vitamina pode causar cálculos renais (pedra nos rins). Já o consumo exagerado de suplementos de proteína, queridinho entre os que desejam aumentar a massa muscular, traz o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, pedra nos rins, aumento de peso e problemas no fígado.
Com a rotina apertada, trabalho, diversos compromissos e agenda cheia, os suplementos acabam facilitando nossa vida nos momentos em que não é possível ter uma alimentação correta e no intervalo de tempo adequado. Mas isso deve ser sempre encarado como exceção e não como hábito. E a melhor forma de adequar e balancear esses consumos sem prejuízos à saúde é com a ajuda de um profissional habilitado.


Por Anderson Lopes
Nutricionista